Pular para o conteúdo principal

Hoje

Hoje eu quero ficar insana,
quero fumar uma carteira inteira,
quero beber uma garrafa cheia,
quero sentar no chão e contar todas as estrelas que eu conseguir, sozinha.
Hoje quero ser mais eu,
não quero acordar com um despertador gritando nos meus ouvidos pela manhã.
Não quero que me levem embora pra casa.
Quero ficar no lugar que eu preferir, aonde me sentir melhor.
Não quero ficar por ficar, mas quero conquistar o que tenho vontade.
Cansei de livros de romance, histórias com finais felizes, músicas com trechos compatíveis ao meu estado emocional.
Quero me aceitar, me decidir e escolher o melhor.
Quero ir, sem sentir vontade de voltar.
Nunca gostei de gente normal, meu super-herói favorito era o Volverine.
Minha música preferida é qualquer uma do Charlie Brown.
Eu quero minha consciência, minha vitalidade.
Talvez eu resgate por ai minha dignidade, ou talvez encontre a minha sanidade em algum lugar por onde eu já tenha passado ao longo desse meu percurso estranho.
Quero morrer de saudade, mas não morrer de amor.
Quero coisas boas pra todas as pessoas que eu sempre gostei, e as que eu comecei a gostar a partir de agora.
Não preciso de mentiras, eu só quero minha própria sinceridade.
Sempre mantive meus pés no chão, apesar de andar sempre com a cabeça nas nuvens.
Eu quero poder me aceitar como eu sempre fui, e não me perguntar porque é que eu mudei?!
Eu acredito nas casualidades, nos encontros, nas passagens.
Eu boto fé nesse tal de destino.
Sempre amei os livros do Paulo Coelho e detestei quando Veronika decidiu morrer de verdade.
Não gosto de pausas, gosto do que é intenso, mas não precisa durar.
Eu confio nos meus sentimentos, no meu sexto sentido e na minha intuição.
Esses sim, jamais me deixam na mão, pois jamais falharam.
Eu quero mãos abertas e não abraços forçados.
Não preciso de provas de afeto e sim de provas de amor.
Quero tudo que tem graça, que tem gosto e dá pra sentir.
Quero o que mais me da vontade, e quero vontade pra prosseguir.
Quero voar, mergulhar, morrer e matar a vontade de querer.
Não quero ter medo de errar, mas não quero me arrepender por não ter feito tudo que tive vontade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vejo a lua na janela

Vejo a lua na janela
Olho o espaço, e nada
Pois o escuro não sabe
Se ela procura apenas
uma morada
Noite...
Oh! que noite bela!
O luar esta clareando...
À janela estou debruçada
Pensando somente nele...
Nele que o sol encobre
Nele que agente descobre
Um luar, uma fonte
Uma lua surgindo no horizonte.